Tratamento odontológico para pacientes especiais

Os dados são expressivos: de acordo com a OMS - Organização Mundial da Saúde, 10% da população mundial é portadora de algum tipo de deficiência e a maioria mora em países subdesenvolvidos ou em desenvolvimento. O IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, no Censo de 2010, revelou que 45 milhões de pessoas no Brasil possuem algum tipo de necessidade especial. Isso significa 24% da população brasileira.

 

No campo da odontologia, considera-se um paciente especial todo aquele que apresente uma ou mais limitações, temporárias ou permanentes, de ordem mental, física, sensorial, emocional, de crescimento ou médica, que o impeça de ser submetido a uma situação odontológica convencional. O profissional que trabalha nessa área deve ser capacitado para tomar as medidas necessárias ao bem-estar do paciente, bem como, desenvolver uma sua sensibilidade, para criar empatia com ele e desenvolver confiança.

 

Com a epidemia do Zika Virus, as crianças que nascem com microcefalia são consideradas pacientes especiais. A microcefalia é uma doença rara em que a cabeça e o cérebro da criança ficam menores do que o usual para a sua idade. Essa doença é geralmente diagnosticada ainda bebê e influencia diretamente no desenvolvimento mental da criança.  

 

E são poucos os profissionais que se dispõe a atuar nesse segmento. No Conselho Federal de Odontologia eram registrados em 2014 apenas 535 profissionais especialistas em pacientes com necessidades especiais. Segundo Lia Castilho, especialista na área e professora da Faculdade de Odontologia da UFMG, esse é um mercado muito bom, porém em Belo Horizonte não tem um curso de especialização, o que acaba inibindo a formação de novos profissionais especialistas.

 

Desafios na cadeira do consultório

 

No dia a dia, quem opta por atuar nessa área enfrenta alguns desafios quando precisa estabilizar o paciente na cadeira odontológica. Quando o paciente apresenta um comportamento agitado, o profissional pode lançar mão de diversas técnicas, desde o simples condicionamento verbal até a contenção física. Em alguns casos é preciso contar com o apoio dos familiares ou de medicamentos anestésicos e sedativos.

 

 

 

Além disso é preciso evitar procedimentos que possam desencadear outros problemas como crises convulsivas, que podem ser geradas com focos de luz desregulados e acesos abruptamente ou, por exemplo, cortes com espelhos em pacientes que apresentam problemas de movimentos involuntários.

 

BRIX 3000

 

Muitos pacientes especiais encontram-se no grupo de alto risco para o desenvolvimento de cáries e doença periodontal. Isso provém de diversas razões como por exemplo, a falta de habilidade motora para escovação e higienização da boca, o uso de medicamentos que levam à redução do fluxo salivar, entre outros. Alguns distúrbios neuropsicomotores, podem desenvolver sérios problemas de oclusão em função principalmente da flacidez muscular, levando a alterações na relação maxilomandibular.

 

No tratamento de cáries, especificamente, a Orto Dente traz ao Brasil uma novidade que pode ser muito útil aos pacientes: o BRIX3000. Trata-se de um gel enzimático proveniente da Papaína, que remove completamente as cáries em dois minutos, sem a necessidade da anestesia pois, não há dor.  Basta aplicar o gel no tecido cariado, aguardar dois minutos e remover completamente o tecido necrosado com movimentos pendulares e sem pressão. Certamente, uma facilidade para os pacientes especiais que não precisarão enfrentar o motorzinho, diminuindo o stress e eliminando o trauma.

 

Além disso, o BRIX3000 pode ser aplicado a vários pontos de cárie de uma única vez, resolvendo o problema rapidamente e evitando que o paciente tenha que voltar várias vezes ao dentista para o tratamento de cáries.

 

Ficou curioso? Saiba mais sobre o BRIX300, aqui.

 

Publicado em Novidades Por

Presoti Comunicacao